Seguidores

quarta-feira

Mulher com ossos de vidro que se quebram até com um espirro desafia médicos e caminha sozinha até o altar.

Entrar na igreja enquanto o homem amado espera no altar é o momento
mais especial com que sonham as noivas do mundo todo. Para Rebecca Dinsdale, no
entanto, a caminhada pela nave era o que ela mais temia em toda a sua cerimônia
de casamento. Isto porque Rebecca é portadora de uma doença grave, a
osteogênese imperfeita — popularmente conhecida como “ossos de vidro”
Entrar na igreja enquanto o homem amado espera no altar é o momento mais especial com que sonham as noivas do mundo todo. Para Rebecca Dinsdale, no entanto, a caminhada pela nave era o que ela mais temia em toda a sua cerimônia de casamento. Isto porque Rebecca é portadora de uma doença grave, a osteogênese imperfeita — popularmente conhecida como “ossos de vidro”
Aos 31 anos, Rebecca estava decidida a desafiar mais uma vez as
ordens médicas. Desde a época do seu nascimento, ela foi desacreditada pelos
especialistas, que diziam que ela não seria capaz de sentar-se nem de caminhar
sem precisar de ajuda. E que, caso sobrevivesse, não passaria dos dois anos de
idade 

 
Aos 31 anos, Rebecca estava decidida a desafiar mais uma vez as ordens médicas. Desde a época do seu nascimento, ela foi desacreditada pelos especialistas, que diziam que ela não seria capaz de sentar-se nem de caminhar sem precisar de ajuda. E que, caso sobrevivesse, não passaria dos dois anos de idade.
Ao nascer, Rebecca tinha todos os ossos do corpo quebrados e, ao longo dos anos, ainda sofreu centenas de outras fraturas, algumas sendo desencadeadas por coisas tão banais quanto um espirro, por exemplo.
Seus pais, Patsy Dinsdale e Andrew Dixon, apelidaram a filha de “boneca de porcelana”.
Justamente por este histórico delicado, o pai de Rebecca quase morreu de orgulho ao levar a filha ao altar no dia de seu casamento. Esta caminhada, aliás, foi a mais longa que ela já fez sem o uso de seu andador.
Justamente por este histórico delicado, o pai de Rebecca quase
morreu de orgulho ao levar a filha ao altar no dia de seu casamento. Esta
caminhada, aliás, foi a mais longa que ela já fez sem o uso de seu andador
O marido de Rebecca, Norman, de 35 anos, ficou completamente perplexo ao ver a noiva caminhando, porque esperava que ela entrasse na igreja usando sua usual cadeira de rodas.
— Foi um dia especial, e que saiu exatamente como qualquer menina sonha. Andar pelo corredor a pé e ainda dançar uma valsa com Norman me deixou completamente exausta, mas eu estava muito feliz e quis me esforçar até o meu limite.
Rebecca e Norman se conheceram na internet, e conversaram online por cinco longos anos. Os dois se apaixonaram, e ele a pediu em casamento em 2011. Ela relembra que ficou surpresa com a atitude dele.  
Rebecca e Norman se conheceram na internet, e conversaram online
por cinco longos anos. Os dois se apaixonaram, e ele a pediu em casamento em
2011. Ela relembra que ficou surpresa com a atitude dele.

 

- Sempre houve uma parte de mim que pensava que ninguém no mundo
ia querer passar o resto de sua vida ao lado de uma deficiente
— Muitas vezes eu me sinto péssima por Norman não ter uma mulher "normal" ao seu lado. Mas daí  penso: o que é de fato ser normal?

Fonte: R7


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma mensagem!

Nome

E-mail *

Mensagem *